Putz! Plantão Unificado de Tecnologia e Zoeira

OLED: O Futuro da sua Telinha


Fino o suficiente para você? Gostou das cores? e do ângulo de visão? Nice Japa! É um prototipo da Panasonic de 37 polegadas.

Telas  LCD estão em alta. Dá uma olhada no folheto das Casas Bahia se quiser confirmar. Finalmente estão barateando, mas como no mundo da tecnologia quem ficar parado o divino pega, a próxima tecnologia já está por aí. OLED (Organic Light Emitting Diode), também chamado de LEP (Light Emitting Polymer) é  um diodo emissor de luz (os populares LED – Light Emitting Diode, as tais luzinhas piscantes  aí na frente do seu PC e de quase tudo eletrônico) onde a camada emissora de luz é composta por um filme de componentes orgânicos. São depositados em linhas e colunas por um processo simples de “impressão”, como uma impressora jato de tinta.  A matriz resultante de pixels pode emitir luz de diferente cores.

Protótipo da Modistech

Uma vantagem grande sobre o LCD é que as telas de OLED não precisam de luz de fundo (backlight) para funcionar, já que cada pixel emite sua própria luz.  Assim economizam energia, podem ser muito mais finos, tem maior quantidade de cores, maior brilho, contraste e ângulo de visão. Os pixels do OLED também produzem preto de verdade, sendo desligados. Já no LCD ainda há gasto de energia, por que os pixels apenas bloqueiam a luz do backlight.

MacBook Pro 17 Unibody, lindão. Uma tela LCD comum e…

…aqui você pode ver os ãngulos de visão “normais” e meia boca do LCD

O processo totalmente diferente de produção dá muitas vantagens sobre o LCD também, visto que o OLED pode ser imprimido sobre qualquer base desejável usando uma impressora de tinta especial, podendo ser mais barato do que o LCD ou plasma (mas ainda estão meio longe da palavra “barato”, bem longe).  A impressão abre caminho também para telas flexíveis ou em tecidos

Um protótipo com tela flexível, o diário desenhado por Hermes Contre-Temps

A resposta do OLED também é mais rápida do que do LCD.  Enquanto os LCD’s mais rápidos possuem tempo de resposta de 2 ms, OLED pode ter menos de 0.01 ms. Isso ajuda em games e filmes.

O baixo tempo de vida útil dos materiais orgânicos é o maior defeito do OLED.  Os pixels azuis tem vida útil de aproximadamente 14 mil horas (5 anos e 8 dias) quando usado em displays finos. No LCD a vida útil gira  em torno de 60 mil horas. A estudos da Panasonic e da Toshiba para duplicar a vida útil do OLED colocando uma membrana de metal que ajuda a levar luz para camada de polímeros no substrato através da camada de vidro com mais eficiência do que os OLED’s comuns. O resultado é a  mesma qualidade de imagem, porém lá se vai metade do brilho….


Quero ver fazer isso com um LCD

A água pode danificar ou destruir os materiais orgânicos. Logo, sistemas avançados de selagem são importantes para fabricação e pode limitar a vida útil de telas flexíveis, a maior promessa do OLED.
Em outubro de 2008 a Samsung revelou a maior televisão OLED, com 40 polegadas full HD e contraste de 1.000.000:1. A Samsung disse que  40 polegadas é o maior tamanho possível. Hoje não dá pra fazer uma tela de mais de 20 polegadas sem ter um valor exagerado. Sendo exagerado logo após de absurdo, que é o preoço da primeira TV OLED, logo abaixo.

Sony XEL-1, a primeira TV OLED vendida

A Sony apresentou a sua televisão OLED TV XEL-1, com apenas 3 mm de espessura (e tem gente feliz com a sua CRT de 50…centímetros, como eu), 11 polegadas e resolução 960×450 pixels. Contraste de 1.000.000:1 em cores vibrantes e HDMI. 1220 Euros, no Japão. Compro um carro com isso. Na verdade mais de um (já viu o preço dum chevettinho???).

Nokia N86. Um N95 Versão 4.0

A Nokia utiliza tela OLED em alguns modelos desde o segundo semestre de 2007. O último lançado foi o Nokia N86, um celular paulera com câmera de 8 megapixel (não interpolados tá? Pessoal do MP9) com flash duplo LED, 8 GB de memória (mas ainda com slot para cartão, tá? Pessoal do N95 8 GB. Nesse slot dá pra colocar cartões microSD de 16 GB, totalizando 24 GB), GPS (bom. Não semi inútil, pessoal do iPhone). Ah, ele também tem tela OLED. Uma tela 2.6 polegadas 240×320 pixels (ok, pessoal do iPhone, tripudiem, resolução não lhes falta) que pode mostrar 16 milhões de cores. Wi-Fi, microUSB e transmissor FM e plug de áudio 3.5 mm fecham o pacote conectividade.

Se eu fosse fazer um papel de parede OLED, escolheria uma estampa mais doida

A Toshiba está trabalhando num painel OLED que serviria como papel de parede. Imagine as possibilidades de ambientação que poderiam ser feitas? Caraca…Todo Home Theater devia ter um desses.

Fontes: Wkipedia, Hitech Live, NotebookCheck

07/08/2009 Posted by | Tecnologia | 1 Comentário

Primeiro Post! De Novo!

Hello, Cosmic Brothers!

Sejam bem vindos de novo a mais uma tentativa de blog! Dessa vez mais organizado e cheio de novidades bacanas para todos vocês!

Primeira novidade: COMENTÁRIOS! Usem e abusem! Comentem até cansar!

Aqui você vai encontrar de tudo um pouco! Música, Tecnologia, Jogos, entre outras coisas que povoam nosso pequeno grande universo!

Aguardem a grande novidade!

07/08/2009 Posted by | Começando | Deixe um comentário